Papo de Elevador

Portas Abertas Família: realizando sonhos

Na primeira edição, um momento especial: a presença de um garoto de sete anos, que sonhava em conhecer a empresa

POSTADO: 15:01H - 03/03/2020

Portas Abertas Família: realizando sonhos

No mês passado, iniciamos um projeto fundamental para seguir investindo na qualidade humana dentro da empresa: tivemos a primeira edição do Portas Abertas Família, em que alguns colaboradores sorteados puderam convidar familiares para conhecer a estrutura e o dia a dia de nossa companhia. E já neste primeiro evento, pudemos ter a honra de realizar um sonho: contar com a presença de Renatinho, de 7 anos, fã de elevadores e da Atlas Schindler.

Na semana do Portas Abertas, a mãe de Renato, Mônica, entrou em contato conosco via Facebook e explicou a paixão do filho por elevadores. Após contar que o sonho do filho era realizar uma visitação para conhecer nossas instalações, convidamos que ambos fizessem parte do evento, no dia 17 de janeiro.

A visita durou toda a manhã, com direito à café da manhã, palestra e um tour guiado por especialistas de cada área da empresa. O “tour” de Renatinho ganhou alguns “extras”, como conhecer um pouco mais da parte administrativa da nossa matriz, em São Paulo.

No dia seguinte, retomamos o contato com Mônica para saber como tinha sido a experiência de Renatinho e combinamos uma breve entrevista, para receber o feedback completo dessa experiência.

Confira abaixo como foi!

Atlas Schindler: Há quanto tempo o Renatinho manifesta esse interesse por elevadores? Como começou?

Mônica: A paixão do Re por elevadores surgiu literalmente desde bebê. Hoje ele tem 7 anos, mas quando iniciou seus primeiros passos e já possuía autonomia de “correr atrás” de todos os elevadores dos quais nos deparávamos (risos). Isso ocorria em nossos condomínios, na escola onde ele estuda, shoppings, hotéis, navios, igrejas etc. Ele diante de um elevador fica hipnotizado e eufórico, um misto de emoções que só quem conhece entende.

AS: Qual foi a sensação dele em conhecer a nossa empresa e toda a estrutura?

M: Nossa, difícil definir... Foi a realização de um sonho, mesmo porque aos 5 anos ele tinha tentado, por ele mesmo, contato com uma outra empresa, sem sucesso. Quando ele recebeu o retorno da Atlas Schindler ficou muito entusiasmado, repetindo por diversas vezes: “Vou realizar meu sonho!”, foi emocionante. A visita foi extremamente esclarecedora pra ele. Hoje ele aperfeiçoou as técnicas de simulação que ele faz aqui em casa com o material de robótica, descobriu os termos técnicos e aprendeu todos os processos. Ele brinca e reproduz tudo o que aprendeu, é encantador vê-lo brincando, tudo vira elevador (risos).

AS: O que mudou após a visita?

M: O que mudou? Multiplicou a paixão! Sentimos no comportamento dele que foi libertador. Sentiu-se acolhido e seguro no que ele acredita, faz inúmeros planos para o futuro dele e, se deixar, quer ir todos os dias para a empresa.

AS: O que o nosso pequeno entusiasta pensa em ser quando crescer? Já fala nisso?

M: Desde bebê diz que seguirá na carreira de engenheiro. Ele faz suas próprias pesquisas sobre a profissão e onde pretende estudar. Diz que irá pra Dubai (risos) e nós, pais, nos enchemos de orgulho e o incentivamos em todos os seus sonhos, que não têm limites. Ele foi “laudado” com superdotação e desde então buscamos atendê-lo em todas as suas necessidades de interesse. Ele passou por um processo de aceleração no Colégio Liceu Jardim, aqui no ABC, e hoje está cursando o 4º ano com apenas 7 anos de idade. Adquirimos uma franquia do Projeto Jovem Engenheiro, que promove cursos de tecnologia educacional, para ofertar um material de montagem diferenciado que proporciona o contato com os princípios da engenharia de modo lúdico, visto que outros materiais do mercado não despertavam mais o interesse dele.  A cada dia segue mais convicto em seu sonho. Isso é verbalizado constantemente e retratado em suas brincadeiras. Temos montagens e “projetos” de elevadores e grandes prédios aqui em casa espalhado por todos os cantos, o que reforça seu posicionamento quanto a sua futura profissão.

Ficamos felizes em conseguir elevar o aspecto humano em diversas esferas: na proximidade da família ao sonho de uma criança. É assim que movemos mais de um bilhão de pessoas por dia em todo o mundo.

Busca Posts:

Posts Anteriores: